Texto por:

Carlos Alberto Molina Jaro
Jamilla Mariana de Oliveira Gonçalves

www.psiquiatriaweb.com/ansiedade/agorafobia.html


 

O que é agorafobia?

A agorafobia é um transtorno de ansiedade que se caracteriza por temor intenso a estar em locais ou situações como por exemplo: em meio a multidões, usar transporte público, etc.

O sujeito agorafóbico pensa que nestas situações mencionadas poderia ser difícil escapar ou poderia não dispor de ajuda caso se produzam sintomas tipo pânico ou outros sintomas incapacitantes e vergonhosos.

O termo agorafobia é uma tradução literal do Grego para “ temor ao mercado público”. Mesmo que muitos pacientes com agorafobia se sintam incômodos em lojas e mercados, seu verdadeiro temor é ficar separado de uma fonte de segurança.

Este transtorno se apresenta com maior frequência na juventude. As mulheres são mais afetadas.

A prevalência mundial da Agorafobia associada ao Transtorno de Pânico é de 2% (duas pessoas de cada 100) e da Agorafobia não associada ao T. de Pânico é de 0,8%.

 

Quais os sintomas da Agorafobia?

A pessoa com agorafobia evita lugares ou situações porque não se sente segura em lugares públicos. O medo aumenta em lugares lotados.

Os sintomas mais comuns são:

  • Medo de ficar sozinho
  • Medo de estar em lugares onde a fuga poderia ser difícil
  • Medo de perder o controle em um lugar público
  • Dependem de outras pessoas
  • Sentimentos de separação ou distanciamento de outros
  • Sentimentos de desesperança
  • Sentindo que o corpo é irreal
  • Sentindo que o ambiente é irreal
  • Tem temperamento ou agitação incomum
  • Ficar na casa por longos períodos

 

Sintomas físicos podem incluir:

  • Dor no peito
  • Tontura ou sensação de desmaio
  • Náusea ou dor de estômago
  • Coração acelerado
  • Dificuldade para respirar
  • Suar demais
  • Tremor

 

 

O que causa a agorafobia?

Geralmente a agorafobia ocorre como uma complicação do transtorno de pânico. O  transtorno de pânico é um transtorno de ansiedade que se manifesta por momentos de medo intenso inesperados e recorrentes que alcançam sua intensidade máxima em minutos.

Uma minoria de pacientes agorafóbicos não possuem qualquer histórico de crises de pânico e nestes casos seus medos podem estar relacionados com traumas, doença ou situações específicas que lhes causam terror como violência urbana.

 

Como se trata a agorafobia?

É importante esclarecer que quando um paciente apresenta tanto transtorno de pânico como agorafobia, cada transtorno deve receber seu diagnóstico e tratamento adequados.

O diagnóstico e terapia apropriados requerem avaliação psiquiátrica para individualizar um plano de tratamento.

Este tratamento na maioria das vezes requer a utilização de:

  • medicamentos
  • psicoterapia

Geralmente a terapia de exposição, onde os pacientes vão se expondo aos poucos às situações que temem é a forma de intervenção mais utilizada e pode necessitar a assistência de um terapeuta durante este processo.

 

O paciente tratado pode desenvolver uma vida social e cotidiana sem medo?

Este é o objetivo do tratamento.

O paciente deve aprender a lidar com a ansiedade e o temor de forma a voltar gradualmente a fazer atividades que tem evitado.  

A terapia é fundamental para que o paciente enfrente e entenda seus sintomas e mude comportamentos que não são saudáveis.

 

 

Referências

  1. Bandelow B, Michaelis S. Epidemiology of anxiety disorders in the 21st century. Dialogues in Clinical Neuroscience. 2015;17(3):327-335.
  2. Black, Donald W. Texto Introdutório de Psiquiatria. Associação de Psiquiatria Americana. 2015: 222-224.

Deixe um Comentário

Entre em contato com a PsiquiatriaWeb.

Escreva aqui sua mensagem.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Call Now Button
Enviar mensagem
Oi, gostaria de obter informações sobre a consulta.
Powered by