Texto por:

Carlos Alberto Molina Jaro

www.psiquiatriaweb.com/demencia/demencia.html


 

O que é demência?

É um termo geral para um conjunto de desordens caracterizadas pela deterioração progressiva das funções cerebrais, como memória, pensamento, linguagem, julgamento e comportamento.

A demência diminui gradualmente a capacidade da pessoa para realizar suas atividades diárias normalmente. E assim, a pessoa afetada perde autonomia e precisa progressivamente de mais de mais cuidados de familiares e profissionais da saúde.

É comum usar palavras como “senilidade” ou “demência senil”. No entanto, está relacionado com à crença incorreta de que o deteriraçãoo mental é normal com o envelhecimento. De fato, essa crença equivocada dificulta ainda mais o diagnóstico precoce e o estabelecimento de um plano de tratamento adequado.

 

Qual é a causa da demência?

Sendo um grupo de transtornos, não há uma causa única. Em geral, é possível afirmar que a demência é causada por danos aos neurônios. Esse dano interfere na capacidade dos neurônios as células cerebrais para se comunicarem entre si. Isso impede o funcionamento normal do cérebro.

A maioria dos tipos de demência é irreversível (degenerativa), ou seja, ainda não é possível interromper ou reverter o deterioração.

A doença de Alzheimer é o tipo mais comum de demência, cuja origem ainda está sendo estudada. Em seguida vem a Demência Vascular, causada por fluxo sanguíneo insuficiente para o cérebro e consequente perda de neurônios. Isso acontece, depois de um acidente vascular cerebral, mas também pode se dar com “micro-infartos” ou “micro” acidentes vasculares cerebrais, que passam despercebidos.

 

Outras causas de demência incluem:

  • Demência de corpos de Lewy
  • Doença de Huntington
  • Lesão cerebral
  • Esclerose múltipla
  • Infecções como HIV / AIDS, sífilis e doença de Lyme
  • Doença de Parkinson
  • Demência fronto-temporal (ou Doença de Pick)

 

Entre as causas de demência que podem ser interrompidas ou revertidas, se detectadas precocemente, estão:

  • Lesão cerebral
  • Tumores do cérebro
  • Abuso de álcool a longo prazo
  • Alterações nos níveis de açúcar, cálcio e sódio no sangue
  • Baixos níveis de vitamina B12
  • Hidrocefalia
  • Uso de certos medicamentos, incluindo cimetidina e alguns medicamentos para baixar o colesterol
  • Infecções cerebrais

 

Quais são os sintomas da demência?

Os sintomas da demência afetam:

  • O comportamento ou a personalidade
  • A linguagem
  • A memória
  • A percepção
  • O pensamento e julgamento

 

Os primeiros sintomas da demência incluem:

  • Esquecimentos freqüentes
  • Dificuldade para realizar tarefas diárias e facilmente executadas em sua rotina anteriormente
  • Perder-se em rotas conhecidas
  • Problemas de linguagem, como lembrar o nome de objetos ou pessoas familiares
  • Perder o interesse em coisas que você gostou anteriormente
  • Perder objetos
  • Mudanças de personalidade e perda de habilidades sociais

 

Quando a demência progride, os sintomas são mais visíveis e preocupantes. Eles incluem:

  • Alterações no sono, acordando frequentemente à noite
  • Dificuldade em realizar tarefas básicas, como preparar refeições, escolher roupas apropriadas, escovar os dentes ou dirigir
  • Alucinações, delírios
  • Comportamento violento
  • Depressão e agitação
  • Maior dificuldade em ler ou escrever
  • Falta de julgamento e perda de capacidade de reconhecer o perigo
  • Uso de palavras erradas, não proferindo palavras corretamente, falando com frases confusas
  • Contato social escasso

 

É impossível para pessoas com demência grave:

  • Realizar sem auxílio atividades básicas da vida diária, como comer, vestir e tomar banho
  • Reconhecer os membros da família
  • Entender a linguagem

 

A quem afeta a demência?

Demência afeta pessoas idosas (acima de 60 anos). É raro antes dessa idade. O risco de sofrer esta doença aumenta à medida que a pessoa envelhece.

Devido a que a expectativa de vida em todo o mundo está aumentando, os casos de demência também estão crescendo.

 

Como é diagnosticada a demência?

Ainda não há um teste específico e a investigação é diferente para cada caso.

A história médica, o exame físico, os exames laboratoriais e de imagem (ressonância magnética e tomografia) e as mudanças características no pensamento, nas funções diárias e no comportamento associado a cada tipo de demência devem ser levados em consideração.

 

Qual é o tratamento para demência?

O tratamento inclui medicamentos e acompanhamento por equipe multiprofissional, a depender de cada tipo de demência.

Geralmente é preciso uma equipe de profissionais de saúde (Geriatria, Neurologia, Psiquiatria, Psicologia, Terapia Ocupacional, Nutrição) que trabalham com as famílias e cuidadores (por exemplo, para evitar o estresse do cuidador) para a qualidade de vida (precisa do casos irreversíveis) ou para recuperação do paciente (demências reversíveis).

 

Referências:

  • Kaplan & Sadock – Compêndio de Psiquiatria: Ciência do comportamento e psiquiatria clínica. 11ª Edição, 2017.
  • Mitchell SL. Clinical Practice. Advanced dementia. N Engl J Med. 2015;372(26):2533-2540. PMID: 26107053 www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26107053.



Carlos Alberto Molina Jaro
Médico Psiquiatra – Interessado na difusão de informação sobre a Saúde Mental

 

Deixe um Comentário

Entre em contato com a PsiquiatriaWeb.

Escreva aqui sua mensagem.

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Call Now Button
Enviar mensagem
Oi, gostaria de obter informações sobre a consulta.
Powered by